Estearato de Magnésio – Será que o seu suplemento contêm esse perigoso ingrediente?

Estearato de Magnésio

Eu consumo diariamente suplementação de B12, comprada nos USA.. quando soube disso fui logo verificar e qual não foi minha desagradável surpresa… Magnesium Stearate na fórmula…
É de conhecimento comum que os medicamentos, vitaminas ou suplementos contêm mais do que apenas o ingrediente ativo. Algo tem que encapsular eles, mantê-los juntos, em uma forma que não só os torne utilizáveis, mas produzíveis em quantidades maciças por um fabricante.

Muitos fabricantes de suplementos norte-americanos estão acrescentando “agentes de fluxo” em suas cápsulas. O seu único objetivo é manter os ingredientes grudados durante a mistura e compressão. Eles tornam a fabricação mais rápida e mais fácil, mas não é impossível produzir o produto final sem eles. Não usá-los simplesmente aumenta os custos de produção e preço de venda final do produto.

Estearato de Magnésio (Magnesium Stearate) é um aditivo geralmente utilizado e potencialmente prejudicial encontrado em muitos suplementos. Esta é uma substância que já foi alertada por mim há um longo tempo atrás, por causa da sua sutil habilidade de causar possíveis danos para o seu intestino, possivelmente, até mesmo impedindo a absorção adequada de nutrientes.

Efeitos potencialmente nocivos do Estearato de Magnésio

Estearato de Magnésio é formado pela adição de um íon de magnésio de ácido esteárico.O composto tem propriedades de lubrificação, é por isso que ele é usado frequentemente na fabricação de suplementos, pois permite que as máquinas funcionem mais rápido e suave, e impede que os comprimidos ou cápsulas colem uma na outra.

No entanto, estudos anteriores mostraram que o ácido esteárico suprime as células-T (suas células naturais de defesa) células que são um componente-chave do seu sistema imunológico. De acordo com este estudo, o ácido esteárico provoca o colapso da integridade da membrana celular, um efeito que se verificou ser dependente do tempo e da dose que em última análise, podem destruir a função das células.

Naturalmente, quando você toma vitaminas e outros suplementos, você o faz com a ideia de reforçar o seu sistema imunológico. No entanto, se você tomar suplementos contendo estearato de magnésio, você pode acabar fazendo exatamente o oposto com cada dose que você toma.

Ele também estimula o seu intestino a formar um biofilme. Você costuma ver biofilmes quando você levantar a tampa do seu reservatório do banheiro. Os biofilmes são uma espécie de forro de lodo que atuam como uma barreira eficaz para a não absorção da vitamina em questão, mas de TODOS os nutrientes que você normalmente recebe também através das fontes de alimentos.

Isto é de particular preocupação para qualquer um com a digestão prejudicada, o que no mundo de hoje inclui a grande maioria dos norte-americanos, devido a maus hábitos alimentares.

A meu ver, esse efeito colateral sozinho é um dos principais motivos para a focagem de alimentos nutritivos, ou, se você está tomando um suplemento, certificando-se de que é de alta qualidade, suplemento à base de alimentos naturais que não inclui cargas e aditivos potencialmente prejudiciais, tais como estearato de magnésio.

Problemas de contaminação

Outro problema que tem sido levantado em relação ao estearato de magnésio é o fato de o estearato ser geralmente originado a partir de óleos hidrogenados tais como óleo de semente de algodão. Esta cultura é muitas vezes geneticamente modificada, mas mesmo quando não é, óleo de algodão tende a ter altos níveis de resíduos de pesticidas.

Outras contaminações também podem ocorrer durante o processo de fabricação do estearato de magnésio. De acordo com um relatório de dezembro de 2011 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), vários lotes de estearato de magnésio fabricados pela Ferro Corporation foram encontrados por conter vários níveis de contaminantes nocivos, tais como:

  • O hidróxido de cálcio: ou “cal atenuada”, que é considerada tóxica, de acordo com os Institutos Nacionais de Saúde
  • O bisfenol-A: um tóxico químico potente e tóxico endócrino
  • Irganox 1010: um produto químico “moderadamente perigoso”, com potencial de desenvolvimento de toxicidade, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental

A contaminação cruzada foi determinada como sendo devida a limpeza incompleta de um equipamento de moagem de ar introduzido na fábrica de Ohio Ferro em fevereiro do mesmo ano. Com certeza, este não é um problema crônico, tanto quanto eu sei, mas só isso serve para mostrar o quão facilmente a contaminação pode ocorrer em geral.

Será Estearato de Magnésio Retirado do Mercado?

Como explicou recentemente no artigo em destaque, estearato de magnésio pode estar à beira de ser retirado dos suplementos por completo, o que provavelmente não seria uma coisa ruim; pelo menos do ponto de vista da saúde.

Durante a sessão do Comitê do Codex sobre Aditivos Alimentares (CCFA) Março de 2010, foi recomendado que “sais de magnésio de ácidos gordos” (ou seja, Estearato de Magnésio) ser excluído do Codex, uma vez que não tem nenhum uso conhecido nos alimentos. No ano seguinte, na sessão CCFA março de 2011, a Aliança Internacional das Associações suplemento dietético (IADSA) apresentou um pedido para restabelecer estearato de magnésio como aditivo alimentar. Posteriormente, foi reintegrado sob o número INS 470 (iii).

No entanto, conforme explicado no artigo em destaque:

“… A Joint Expert Committee on Food Additives (JECFA) agora exige dados de toxicidade para comprovar nova posição do estearato de magnésio, apesar de seu histórico existente de uso em suplementos. De acordo com John Venardos, vice-presidente sênior de assuntos regulatórios para a empresa de marketing de rede global da Herbalife, que apresentou esta questão na recente conferência NIA Oeste, em Laguna Beach, o custo estimado desses dados toxicológicos sobre Estearato de magnésio custaria US $ 180.000. Nenhum fabricante ainda se ofereceu para pagar a conta.”

Parece como se, a menos que alguém aceite a tarefa de fazer a pesquisa necessária para provar sua segurança como um aditivo alimentar, ele provavelmente vai ser eliminado do mercado. Considerando o fato de que a grande maioria dos fabricantes de suplementos usam estearato de magnésio, reação é de se esperar. Mas, para as empresas que já operam sem estearato de magnésio, é apenas uma prova de que eles estavam certos o tempo todo.

Eu me incluo neste último grupo, como sempre desde que eu aprendi a respeito de ingredientes, eu tomei as medidas necessárias para removê-lo de todos os produtos que eu vendo.

Esta é uma das razões pelas quais os meus produtos são, por vezes, um pouco mais caros do que o que você pode encontrar no seu supermercado ou loja de alimentos saudáveis ​​local. Removê-lo do produto final equivale a um custo de produção um pouco maior, já que as máquinas não podem correr tão rápido e, portanto, não pode produzir tanto em um determinado dia. Mas eu acredito que o ligeiro aumento no custo vale a pena. É realmente importante para mim primeiro não fazer mal, e tomar as precauções extras para garantir que os produtos vendidos são de altíssima qualidade e pureza possível.

Como identificar alta qualidade dos multi-vitamínicos?

Eu acredito que os suplementos dietéticos – incluindo vitaminas e minerais – pode ajudar a compensar alguns dos danos do seu corpo incorre através de viver em uma cultura contemporânea. No entanto, não é aconselhável o uso de suplementos para justificar uma dieta pobre. Na minha experiência, nenhuma quantidade de suplementos nunca será capaz de substituir escolhas alimentares saudáveis.

Mas há momentos em que os suplementos podem ser bastante úteis, e eu acredito que alguns suplementos, como uma alta qualidade de origem animal de ômega-3, por exemplo, são essenciais para quase todos. Isso ocorre porque a principal fonte de base de animais gorduras omega-3 em sua dieta vem de peixe – a maioria dos quais é agora tão grosseiramente poluída com metais pesados, PCBs e outras toxinas ambientais já não posso recomendar o consumo de peixe para níveis ideias de ômega-3. Outro suplemento que muitas pessoas precisam é a vitamina D3, a menos que você possa obter uma quantidade suficiente e seguro de exposição ao sol durante todo o ano.

Há outros casos em que suplementos podem ser úteis também, como no caso de CoQ10, se você está tomando um medicamento estatina. Você também pode querer tomar um ou mais suplementos à base de alimentos para garantir que você está recebendo uma variedade adequada de nutrientes. No entanto, eu recomendo fortemente que você faça toda complementação através da alimentação como a sua primeira escolha, e conduza-se com clareza a respeito das vitaminas sintéticas. Como você pode saber se é ou não uma boa escolha o suplemento que você está olhando? Para começar, certifique-se que tem as seguintes características:

  • É o mais próximo possível de sua forma natural (todo alimento).
  • Usa laboratórios terceirizados independentes que verificam se as matérias-primas estão contaminadas e qual a dosagem correta.
  • Segue os padrões da indústria para a garantia da qualidade, incluindo ISO 9001, ISO 17025 e Boas Processos de Fabricação (BPF) certificações.
  • O máximo cuidado foi tomado em todas as fases de sua produção, do crescimento dos seus ingredientes, a fabricação, testes de potência e controle de qualidade.
  • Ele funciona! Eu sempre tento selecionar a partir de empresas que têm um longo histórico de fornecimento de produtos de alta qualidade que produzem bons resultados clínicos.
  • Como este artigo afirma, evite qualquer suplemento que usa estearato de magnésio. Leia os rótulos cuidadosamente – as empresas precisam declarar que o usam, mas é em muito pequena letra e você pode precisar de uma lupa para conseguir ler.

Se você está interessado em melhorar a sua saúde, a sua melhor solução é escolher os alimentos da mais alta qualidade possível, e comer uma grande variedade de alimentos orgânicos inteiros. Depois de ter abordado a sua dieta e está procurando melhorar ainda mais, as chances são que você provavelmente se beneficiaria de alguns suplementos, como um suplemento omega-3 de origem animal e um probiótico, por exemplo. Há muitos outros que você poderia considerar, dependendo de suas circunstâncias específicas, mas quase todo mundo se beneficiaria de estes dois.

Apenas lembre-se de fazer sua lição de casa primeiro e utilizar apenas aqueles que vêm de um fabricante respeitável usando ingredientes naturais que são livres de aditivos prejudiciais, cargas e pastas, e passaram por um processo de controle de qualidade rigoroso.

Fonte original em inglês: http://www.ener-chi.com/supplement-potentially-hazardous-ingredient/

Tradução: Margarida Ranauro

Por: Dr. Mercola
Fonte: Mercola.com

No comments yet.

Deixe uma resposta

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: